Tecnólogos têm autonomia para elaborar o Programa de Gerenciamento de Riscos para organizações

Tecnólogos têm autonomia para elaborar o Programa de Gerenciamento de Riscos para organizações

A nova redação da Norma Regulamentadora-01 estabelece a obrigatoriedade de elaborar e implementar o Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR) em todas as organizações, órgãos públicos da administração direta e indireta, bem como os órgãos dos Poderes Legislativo, Judiciário e Ministério Público, que possuam empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho – CLT.

Em termos gerais, um PGR é a criação e sua devida implantação de requisitos e processos de nível administrativo e técnico, que visa, prevenir, minimizar, monitorar e controlar os riscos, sendo assim, mantendo todo o sistema em funcionamento cumprindo à todos os requisitos propostos e atendendo normas de segurança.

Quem pode elaborar uma PGR

Conforme o item 1.5.7.2 da NR-01, os documentos integrantes do PGR devem ser elaborados sob a responsabilidade do gestor de uma organização, respeitado o disposto nas demais Normas Regulamentadoras, datados e assinados.

Evidentemente, os colaboradores designados pela organização para elaborar o PGR devem ser capazes de satisfazer as diretrizes e os requisitos dispostos na NR-01 e demais NRs.

O presidente Conselho Regional de Administração de Goiás (CRA-GO), Adm. Samuel Albernaz destaca que o programa, sendo documento de gestão, compete ao Tecnólogo a autonomia para a elaboração. “Por ser um gestor, conforme RN 505 do CFA, desde que o profissional tecnólogo tenha o registro ativo no CRA, ele pode contribuir com o desenvolvimento, juntamente com o apoio dos colaboradores de uma empresa/entidade”, conclui.

 

Fechar Menu